“É impossível administrar bem sem o apoio do Parlamento”, diz Jefferson Calvet

Por Daniel Mendes – Apesar de fazerem parte da base governista da prefeita de Bacabeira – Fernanda Gonçalo e de manterem uma boa relação com a chefe do executivo, não é novidade que alguns parlamentares mantem uma certa distancia de setores da administração.

Nesse contexto, é raro presenciar secretários e vereadores discutindo o mesmo assunto numa mesma mesa. No entanto, não causou surpresa os elogios que recebeu o Secretário Municipal de Saúde – Jefferson Calvet, presente na ultima sessão solene da Câmara de Bacabeira.

O presidente da Câmara – Elias Teixeira Lima (Tchabal – PROS) destacou a atuação do Secretário. “Nós parabenizamos o vereador licenciado desta casa, que hoje é Secretário de Saúde pelo seu bom desempenho a frente da pasta que consideramos uma das mais importante desse município, parabéns secretário pelo seu trabalho”, disse Tchabal.

Na mesma linha, o vereador Vanderlan Mendes (PSC) também usou a tribuna para apontar os avanços da saúde no município. “Quero dizer ao Secretário Jefferson que continue assim, o que ouvimos nos postos de saúde e por onde andamos, é que Bacabeira jamais teve um secretário que conta com o respeito e admiração de todos os servidores da Saúde” assegurou o parlamentar que foi seguido pelo vereador Arrumadinho (PSDB).

Na verdade, os vereadores não têm reclamado do tratamento recebido na pasta administrada pelo secretário, que sempre se dispõe a atender as demandas dos parlamentares em beneficio da população em suas bases de apoio pelo município. Segundo Jefferson Calvet, a reciproca é verdadeira.

“A Câmara deve ser um parceiro da gestão, pois são os vereadores quem aprovam matérias e projetos do executivo e dão autorização para execução de determinados benefícios. Por isso, tento promover uma boa relação com eles, por entender que, sem o apoio da Câmara, a coisa não anda”, disse o secretário da SEMUS.

Conhecedor de causa e da importância do parlamento para a cidade, Jefferson tem usado sua experiência política para tentar aproximar cada vez mais a Câmara do Governo. Segundo ele “é impossível administrar sem o apoio do parlamento”.

A prova da boa relação e do prestigio com os edis, é a presença do secretário nos corredores e gabinetes da Câmara Municipal de Bacabeira.

Secretaria de Saúde de Bacabeira leva atendimento à comunidade do São Pedro e região

A Ação foi uma parceria entre a Secretaria Municipal de Saúde e o Projeto Mão Amiga, com o apoio da Prefeitura de Bacabeira.

A Prefeitura de Bacabeira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e do Projeto Social “Mão Amiga”, levou atendimentos de saúde, estética e social para centenas de pessoas que moram nas regiões dos povoados de São Pedro, Gameleira, Vila Cearense, Ramal de Abude, Rancho Papoco e Placa de Recurso, todos da zona rural do município de Bacabeira.

A Ação aconteceu no último sábado, dia 10, e contou com a participação e o apoio da Prefeita Fernanda Gonçalo (PMN) e do Secretário de Saúde, vereador licenciado Jefferson Calvet (PSC), além do presidente do Projeto Mão Amiga, Pr. Marcos Aurélio, um dos parceiros da ação.

O evento levou serviços e atendimento médico, como exames, consultas de diversas especialidades, testes rápidos, orientações. Além de serviços de corte de cabelo, chapinhas e limpeza de pele. A ação promoveu ainda tiragem de cerca de 200 carteiras de identidades a população dos povoados citados acima, facilitando a vida de mais de mil pessoas atendidas no decorrer do dia.

Para secretário de Saúde Jefferson Calvet, a ação foi algo extraordinário, pois garantiu acessibilidade dos serviços públicos a quem precisa.

–“Estamos muito contentes em poder promover tamanho evento para a população destes povoados. Aqui podemos ver a quantidade de pessoas que necessitavam deste tipo de atendimento, e nós vamos promover mais ações nos demais povoados e centros de nossa querida cidade, levando à população serviços diversos em saúde, estética e social”. Disse Jefferson.

Após a ação foi realizado uma Cruzada evangelística realizada através de uma parceria entre a Secretaria de Saúde e a Igreja Assembléia de Deus de Bacabeira, onde fechou com chave de ouro os trabalhos executados durante todo o sábado.

Depois do PSC e PN, agora foi a vez do PEN convidar Hilton Gonçalo a disputar o senado

Assim como o PSC e o Partido Novo, agora foi a vez do PEN manifestar interesse na candidatura a senador do prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PCdoB), em 2018.

O convite foi feito através do Presidente estadual do PEN, ex-deputado Jota Pinto.

– Aqui ele tem a garantia e a certeza que disputará o cargo, independentemente de qualquer outro partido ou composição partidária. Nós vamos ter candidato ao Senado e quero que seja Hilton Gonçalo – declarou Jota Pinto.

Hilton, porém, ficou agradecido com convite do PEN, mas prefere manter a tranquilidade quando o assunto é partido. Para ele, esse assunto inspira cuidados e ainda precisa ser melhor discutido e analisado, pois ele pertence ao PCdoB, partido do governador Flávio Dino, onde pretende concorrer a uma das vagas do senado.

Apesar de Jota Pinto ter garantido legenda para a candidatura de Hilton, mas uma coisa deve ser levada em consideração: A forte ligação do PEN com o prefeito de São Luis Edivaldo Holanda Júnior (PDT), aliado declarado de Weverton Rocha, também pré-candidato a senador.

Provavelmente o PEN apoiará a reeleição de Flávio Dino, o que não seria conveniente a filiação de Hilton na legenda, já que o governador ‘namora’ as possíveis candidaturas de Weverton Rocha (PDT) e Waldir Maranhão (PP) ou Zé Reinaldo Tavares (PSB).  

É uma honra receber o convite do PEN, um partido que vem crescendo no Maranhão e tem espaço para conquistar no cenário político local – afirmou o prefeito de Santa Rita.

Bacabeira: Bancada do DEM de Venancinho quase toda com Fernanda Gonçalo

A bancada de vereadores do Democratas, partido comandado na cidade de Bacabeira pelo ex-prefeito Venancinho, está quase toda aliada à prefeita Fernanda Gonçalo (PMN).

O DEM possui três vereadores entre os onze que compõe o parlamento bacabeirense, são eles: Romualdo, Joaquim (Meu Povo) e Vilmar.

Dos três, dois já se aproximaram da prefeita Fernanda oferecendo apoio ao governo municipal.

O primeiro a desembarcar no grupo foi o vereador Meu Povo. Ele fez sua primeira aparição em público ao lado da gestora na inauguração da Feira do Produtor, em janeiro deste ano, como mostra a imagem acima.

O outro Democrata a mudar de time foi o vereador Antônio Romualdo. Segundo informações, ele decidiu apoiar o grupo governista na última sexta-feira, 17.

Com o passar dos dias o DEM vai deixado de ser oposição e se tornando aliado, o que para muitos não é nenhuma surpresa, apesar que esperassem um partido duro e combatente contra a gestão, pois se trata da legenda do ex-prefeito Venancinho, que tem como desafeto político a prefeita Fernanda.

Ex-prefeito Alan Linhares pode assumir a Superintendência de Articulação Política de Rosário

São fortes os indícios de que o ex-prefeito de Bacabeira Alan Linhares (PCdoB) deva assumir a Superintendência de Articulação política do governo do estado na regional de Rosário.

Segundo informações repassadas ao Blog Jefferson Calvet através de fontes ligadas ao palácio dos Leões, em São Luis, o governador Flávio Dino (PCdoB) desejaria encaixar o aliado em algum cargo no governo estadual, sonhando em contar com o apoio do ex-prefeito nas eleições de 2018, onde deve disputar a reeleição e seus aliados outros cargos, a exemplo de Márcio Jerry, que deve disputar vaga para deputado Federal.

O problema é que Alan pode sofrer barreira a nível de região, pois o prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, que é filiado ao PCdoB, tem a esposa Fernanda prefeita em Bacabeira, e ambos são aliados do governador Flávio Dino e adversários político de Linhares.

Há resistência, inclusive, de aliados do governador na cidade de Rosário. Lá, os aliados querem indicar o nome do vereador Carlos do Remédio (PCdoB), onde abriria vaga na Câmara para o suplente de vereador Preto do Raça, também PCdoB, e assim fortaleceria o partido na cidade e no legislativo municipal.

Provavelmente, Hilton e os demais prefeitos aliados a Flávio Dino ainda não foram consultados ou comunicados sobre o projeto.

Ainda segundo fontes, Márcio Jerry é o mais interessado na indicação de Linhares ao posto que antes foi ocupado pelo ex-candidato a prefeito de Rosário, Calvet Filho (PSDB), que se afastou em abril de 2016 para se candidatar a prefeito de Rosário.

As superintendências regionais servem para aproximar os prefeitos do governo do estado. Essa função nem sempre é exercida como deveria, pois, serve mais para agradar aliados do que para o ofício de fato.

Caso Alan Linhares consiga ser emplacado no cargo, ele receberá, em média, a quantia de R$ 5.500,00 bruto.

Nova oposição

Da coluna Estado Maior

O governador Flávio Dino (PCdoB) assumiu o governo, em 2015, praticamente absoluto como novo líder maranhense. O chamado grupo Sarney, após a derrota de 2014, preferiu dedicar­se a questões particulares, sobrando uns poucos para uma quase solitária batalha crítica com o então incensado governo comunista.

Passados mais de dois anos do início do mandato, Flávio Dino já convive mais corriqueiramente com críticas duras à sua gestão e à sua forma de fazer política. E os nomes que fazem este contraponto formam hoje uma nova oposição no Maranhão.

Estão neste grupo o senador Roberto Rocha (PSB), que mantinha com o comunista uma aliança tática, mas independente, e o deputado federal Hildo Rocha (PMDB), que faz o contraponto na Câmara Federal desde 2015.

Na Assembleia, se destacam desde 2015 os deputados Adriano Sarney (PV), Andrea Murad (PMDB) e Edilázio Júnior (PV), agora reforçados pelos colegas Eduardo Braide (PMN) e Wellington do Curso (PP).

Juntam­se a estes personagens, o senador Lobão Filho (PMDB), a ex­prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PTN), hoje vista como “pedra no sapato” do governador, e ninguém menos que o prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, do próprio partido do governador.

São estes personagens os principais responsáveis, hoje, por um crescente desgaste popular do governador comunista, em todos os aspectos ­ político, administrativo e pessoal.

Passados dois anos de mandato, Flávio Dino parece sem poder de reação aos oposicionistas. E a tendência é que o grupo aumente à medida que o pleito de 2018 for se aproximando.

Articulação política fortalece PSC em Bacabeira

PSC é presidido por Jefferson Calvet, que se licenciou da Câmara para assumir a Secretaria de Saúde. Com isso, Vanderlan assume vaga no parlamento e fortalece partido em Bacabeira.

– Jefferson Calvet e Vanderlan Vilaça

O vereador Vanderlan Vilaça (PSC) tomou posse nesta sexta-feira (03), na Câmara Municipal de Bacabeira. O parlamentar que ficou na segunda suplência da Coligação “Juntos Para Crescer”, assumiu o mandato na vaga do vereador Jefferson Calvet (PSC), que se licenciou do cargo para assumir a Secretaria Municipal de Saúde de Bacabeira.

O presidente da Câmara, vereador Tchabal de Lauzinho (PROS), convocou Vanderlan Vilaça em virtude do primeiro suplente, Fábio Torres (PTN) também ter sido nomeado pela prefeita Fernanda Gonçalo (PMN) para comandar a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes).

Antes da solenidade de posse, o novo vereador fez uma visita ao Secretário de Saúde Jefferson Calvet, grande incentivador de sua corrida ao parlamento municipal, para agradecer a confiança e apoio. Presidente do PSC no município, Jefferson afirmou durante o encontro, que Vanderlan será o líder da sigla na Câmara e fortalecerá o partido no parlamento, somando forças para que a legenda cresça ainda mais em Bacabeira.

Além de ser o partido com mais tempo de aliança com o casal Gonçalo, o PSC foi também o partido que teve maior votação entre os partidos da base de apoio da prefeita Fernanda na eleição de 2016, seguido do PMN, partido da prefeita.

Eunício Oliveira é eleito o novo presidente do Senado

Agência Senado – O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) é o novo presidente do Senado. Eunício foi eleito na tarde desta quarta-feira (1°), com 61 votos, contra dez de seu concorrente, o senador José Medeiros (PSD-MT), e outros dez votos em branco. Eunício havia sido indicado pelo seu partido, o PMDB, que tem a maior bancada da Casa, e ocupará a presidência no biênio 2017-2018.

— Peço honra de ser merecedor da confiança de cada um de vocês para capitanear essa travessia. Não colocarei a nau do Senado contra as correntes, os ventos ou as marés tempestuosas. Sei que não navegarei sozinho e não deixarei que nosso barco fique à deriva — disse Eunício, durante o pronunciamento que antecedeu a votação do Plenário.

O presidente do Senado é também o chefe do Poder Legislativo e presidente do Congresso Nacional. É ele quem conduz as sessões conjuntas para a votação de vetos da Presidência da República e para aprovação do Orçamento da União, por exemplo.

Antes da votação, Eunício lembrou que o país passa por um momento difícil e se comprometeu a buscar unir o Senado para buscar soluções duradouras, reconstruir o pacto federativo e aprovar as reformas de que o país precisa. Para ele, o Senado deve recolocar o Brasil no caminho do crescimento tendo como guia a Constituição.

— Ao tomar posse aqui, todos nós juramos cumpri-la. E temos de fazer isso. Se o texto constitucional é a nossa carta náutica nessa travessia, não há necessidade de inventar caminhos alternativos.

O senador também afirmou se sentir honrado com a indicação e lembrou que sua candidatura representava o caminho da tradição, respaldado pelo Regimento Interno e pelas leis. Eunício prometeu restaurar o respeito aos direitos da minoria no Senado e lembrou que a minoria de hoje pode ser a maioria de amanhã.

Candidatura alternativa

A votação se deu por sistema eletrônico, com votos secretos. Tradicionalmente, o partido com a maior bancada fica com a Presidência do Senado, mas pode haver candidaturas alternativas, como foi a do também governista José Medeiros, vice-líder do governo, que tinha o apoio declarado de senadores como Magno Malta (PR-ES), Lasier Martins (PDT-RS) e Cristovam Buarque (PPS-DF).

No pronunciamento na sessão preparatória, antes da votação, Medeiros destacou que sua campanha não tinha intenção de causar rupturas no Senado, mas sim de promover um debate à altura da Casa e contribuir para a retomada do crescimento do país.

— O Senado deverá discutir com coragem e ponderação os grandes temas que estão na ordem do dia do país, atuando decisivamente para as reformas que a sociedade espera, com especial atenção para a redução da burocracia, que atravanca este país, e a geração de empregos — disse o senador.

Terceira via

Até a última terça-feira (31) havia a expectativa de que o senador Roberto Requião (PMDB-PR) também fosse candidato. Ele foi o único membro do PMDB a não participar do encontro que definiu a candidatura de Eunício, mas acabou não se lançando candidato depois que Medeiros adotou algumas de suas propostas.

A falta de um candidato que não fosse ligado ao governo fez com que alguns senadores não votassem em nenhum dos candidatos. Foram dez votos em branco. Antes da votação, Lindbergh Farias (PT-RJ) lembrou que o PMDB participou do processo de impeachment, que considera inconstitucional, e disse que anularia seu voto. Outras senadoras, como Fátima Bezerra (PT-RN) e Gleisi Hoffmann (PT-PR), adotaram a mesma postura.

A posição dos senadores, no entanto, não é a oficial do Partido dos Trabalhadores, que, por falta de consenso, liberou os parlamentares, que puderam decidir como votar.

Balanço

No último ato de sua gestão, antes de anunciar o resultado da votação, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), fez um balanço dos seus dois mandatos como presidente do Senado. Ele destacou medidas que proporcionaram uma economia de R$ 880 milhões à Casa.

Além disso, Renan destacou a aprovação de proposições como a PEC que garantiu aos empregados domésticos os direitos dos demais trabalhadores e projetos de ajuste fiscal. Ele também apontou como uma de suas realizações a defesa do equilíbrio entre os Três Poderes.

PMDB de Timon pede a cassação do prefeito Luciano Leitoa


Blog do Ludwig – Volta a esquentar o cenário político em Timon. O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), através do presidente do Diretório de Timon, ex-deputado Sétimo Waquim (foto) e por intermédio dos advogados Eliomar Feitosa, Pedro Marinho e Amanda Waquim acionaram a Justiça na segunda-feira (23) com uma Representação por captação e gastos ilícitos para fins eleitorais contra o prefeito Luciano Leitoa e seu vice, o comunista João Rodolfo.

Segundo a Representação do PMDB, a prestação de contas do candidato eleito Luciano Leitoa e seu respectivo vice têm “diversas ilegalidades perpetradas que as tornam eivadas de vícios insanáveis, em desacordo com a Lei Geral das Eleições”. Acrescenta ainda que “tais condutas aqui narradas caracterizam captação e uso ilícito de recursos, inviabilizando o escorreito exercício da fiscalização sobre as contas de campanha pela Justiça Eleitoral, revelando-se uma prática que deve ser extirpada, uma vez que é ordinariamente utilizada como artifício para obter vantagem econômica com nítido potencial de viciar a vontade popular”.

No item Receitas da Representação existe um fato que chama a atenção. No documento informa que as doações foram praticamente feitas todas em apenas quatro datas, sendo que dentro do período de greve dos bancos 58 pessoas conseguiram ter acesso a agência para fazer a doação em espécie. Além disso, existem quatro doações de beneficiários do Programa Bolsa Família; doadores sem CPF; doações de pessoas sem capacidade financeira; presença de cheque sem fundos; gastos eleitorais antes da abertura da conta de campanha; quase 1.000 omissões eleitorais, o que pode caracterizar caixa dois etc.

Diante dos fatos narrados nas receitas e despesas da prestação de conta do prefeito Luciano Leitoa e do seu vice, João Rodolfo os advogados do PMDB requereram a Justiça a condenação dos representados, por captação e utilização ilícita de recursos (artigo 30-A da Lei das Eleições), com a consequente cassação dos diplomas e demais efeitos legais.

Vereador Tchabal é eleito presidente da Câmara de Bacabeira

Dalvana Mendes – Vereadores eleitos no pleito de 2016 tomaram posse, ontem, em solenidade na Câmara Municipal. Durante a sessão, Elias Teixeira Lima, o Tchabal (PROS) foi eleito presidente da Casa para o biênio de 2017-2018, assumindo o cargo pela 1ª vez.

Tchabal  apresentou chapa única para eleição da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Bacabeira, e coletou votos de 08 dos 11 vereadores – que foram empossados, antes, em solenidade composta por juramento de compromisso e assinatura de Termo de Posse de cada um.

Apenas três vereadores se abstiveram da votação: Joaquim Lopes, Meu Povo (DEM); Vilmar Fernando Rocha Silva, Irmão Vilmar (DEM); e Antônio Romualdo Oliveira (DEM).