A certeza do sofrimento

“Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos”. 2Tm 3.12

por Daniel Rodrigues Kinchescki, Gospel Prime

sofrimentoPude, pela graça de Deus, nestes últimos dias, participar de um estudo com os jovens da igreja sede da Assembleia de Deus em minha cidade. Me incubiram a responsabilidade de tratar sobre o capítulo 3 da segunda carta de Paulo a Timóteo e consegui, então, fazer algumas anotações que, futuramente, serão transformadas em textos e aqui publicadas. Entretanto, de modo imediato, desejo falar sobre algo que me saltou aos olhos quando no momento de analisar a carta num todo, compreendendo o contexto geral da pastoral.

O contexto da segunda carta de Paulo a seu filho na fé, Timóteo, é intrigante. De modo geral, encontraremos seu autor preso e sofrendo. Contrariando ao que se imagina, o apóstolo então escreve esta carta e, no decorrer de suas palavras, anima o jovem pastor a permanecer firme no que aprendeu, suportando as aflições e perseguições. E é exatamente sobre este sofrimento que desejo tecer alguns comentários.

É notável que no decorrer de nossa caminhada, em algum momento, iremos nos deparar com inúmeras adversidades. Sejam estas por culpa do pecado, da natureza caída, de homens cruéis, de perseguições ou de doenças e demais calamidades, bem sabemos que não estamos isentos de tais acontecimentos. Inclusive, conforme dito por nosso Senhor, neste mundo nós teremos aflições (Jo 16.33). Além disto, o texto acima exposto é bem claro em dizer que todo aquele que for um verdadeiro cristão será perseguido.

Paulo, como bom homem de Deus, pregador, apóstolo e mestre (2 Tm 1.11), sabia disso, e fez questão de nos mostrar algumas formas de como suportar este sofrimento e dor.

Ensinou-nos, então, que nosso sofrimento não deve ser suportado sozinho. Como vemos no capítulo primeiro desta carta, logo no versículo oito, o apóstolo pede a Timóteo que participasse com ele dos sofrimentos a favor do evangelho. Somos todos um corpo, e precisamos entender que aquilo que fere a nosso irmão, deve nos ferir também. Não são “apenas cristãos” do oriente médio que sofrem perseguições, torturas e penas de morte. Eles são nossos irmãos. Não é apenas uma igreja pobre e carente que passa fome e sede, em determinado lugar do Brasil, mas sim um aglomerado de irmãos nossos, que precisam de ajuda para suportar as dores desta vida e as perseguições por culpa da fé. Não estamos proibidos pedir ajuda para nossos irmãos na fé, e muito menos de levar as cargas uns dos outros – é exatamente o oposto! O mesmo apóstolo Paulo escreveu isso aos gálatas, e é como mandamento para nós também!

“Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.” Gl 6.2

Também, fica evidente nas palavras de Paulo que não devemos nos envergonhar dos sofrimentos que temos por amor a Cristo. Logo no versículo doze o apóstolo afirma que não se envergonhava de suas cadeias e prisões, pois bem sabia em quem cria, e que este mesmo Deus guardaria o seu “depósito até aquele Dia”. Quando mantemos nossos olhos voltados a Cristo, com a certeza de que nada nesta vida poderá nos afastar de seu grande amor, conseguimos ter forças para suportar as aflições deste tempo presente (Rm 8.18). O Deus que nos deu vida e nos colocou de pé é o mesmo que nos mantém e guarda até o dia de Sua vinda.

Por fim, o apóstolo nos dá a mais preciosa de todas as dicas: qualquer dor pode ser suportada quando estamos vivendo a Palavra. Paulo estava preso, sofrendo, mas faz um pedido especial a seu filho na fé, “traga os livros, especialmente os pergaminhos” (2 Tm 4.12). É através da Palavra que conseguimos obter toda e qualquer forma de consolo para toda e qualquer forma de aflição e perseguição. A Bíblia é nosso guia, nosso “manual de instruções” do que devemos fazer e de quem devemos ser. Quando firmamos nossos pés na Palavra do Senhor, obedecendo a seus estatutos e ordenanças, pela graça do Pai, conseguimos aguentar as adversidades desta vida (Mt 7.24-27).

Tenha fé e paciência. Suporte todo o sofrimento, como um “bom soldado de Cristo Jesus” (2 Tm 2.3). Ele te mantém. Ele te sustenta. Ele é Deus.

Sob a Graça,